Novembro Roxo

Semana da Prematuridade tem palestras e atividades com mães no HU-UFGD

seg, 05/11/2018 - 15:35

Programação envolve profissionais da assistência, voluntários e mães de bebês internados

Foto: A cor roxa é usada como símbolo por representar sensibilidade e individualidade, características peculiares aos bebês prematuros

Dourados (MS) – Tem início nesta segunda-feira, 5, a Semana da Prematuridade no Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD), vinculado à Rede Ebserh. A programação se estende até quarta-feira, 7, e inclui palestra, ensaio fotográfico com os bebês internados nas Unidades de Terapia Intensiva e Cuidados Intermediários (UTI e UCI Neonatal) e minicurso sobre reanimação neonatal dirigido aos profissionais da assistência.

O ensaio fotográfico é um trabalho voluntário, realizado, este ano, pelas fotógrafas Geovana Giordani e Carla Pereira. As fotografias produzidas serão entregues às mães que acompanham os bebês internados, durante a Roda de Conversa realizada na quarta-feira, 7, evento que tradicionalmente marca a Semana da Prematuridade do HU-UFGD.

O encerramento da programação terá a participação da equipe de voluntariado que integra o projeto Estética do Coração, conduzido por uma clínica de estética parceira. Mensalmente, o projeto traz atendimento às mães das crianças internadas, mas nesta edição será dirigido à equipe que trabalha na assistência aos bebês prematuros (UCI, UTI Neonatal e Banco de Leite Humano).

Novembro Roxo

O Novembro Roxo surgiu a partir da definição do dia 17 de novembro como o Dia Internacional de Sensibilização para a Prematuridade, já que um em cada dez bebês é prematuro em todo o mundo. A data foi escolhida para homenagear o nascimento da filha de um dos fundadores da Fundação Europeia para o Cuidado da Criança Prematura, da sigla em inglês EFCNI. No mesmo ano, a organização estadunidense de caridade March of Dimes escolheu o dia 17 para conscientização do tema.

A cor roxa é usada como símbolo por representar sensibilidade e individualidade, características peculiares aos bebês prematuros. Também simboliza a transmutação, ou seja, a arte de transformar algo em outra coisa, como dor em amor, fé e força.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 12,4% (344 mil) dos pouco mais de 2,9 milhões de nascimentos no Brasil são prematuros. Ou seja, nascem 931 prematuros por dia, o equivalente a 40 por hora. O índice brasileiro é o dobro de países europeus, por exemplo. Gestação na adolescência, falta de cuidados pré-natais, tabagismo e a desinformação são alguns dos desencadeadores do parto prematuro no Brasil, segundo estudo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

No Brasil, o site www.prematuridade.com, mantido pela Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros, reúne diversas informações e ações interessantes sobre o tema, além de histórias reais de famílias que passaram pela situação.

Sobre a Ebserh

Desde setembro de 2013, o HU-UFGD é filiado à Rede Ebserh. Estatal vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Fonte
Com informações do HU-UFGD
Ebserh Sede
HU - UFGD
Região centro-oeste
palestra
semana de prematuridade
mães
atividades