Relatos de Quem Cuida

“Aprendi que é necessário muito pouco para provocar um sorriso”

“Aprendi que é necessário muito pouco para provocar um sorriso”

Meu relato é sobre a importância do cuidar em todas as dimensões. Sou assistente social há 15 anos e já fiz parte da história de vida de muitas pessoas. Trabalhar na área da saúde me fez conhecer o íntimo do ser humano, pois na doença e na morte é impossível sustentar uma máscara. Conheci a complexidade humana e aprendi a respeitar a individualidade de cada um.

Atualmente trabalho na UTI Adulto do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM). A gravidade dos casos e a “proximidade com a morte” fazem parte do meu cotidiano. Trabalhando com o sofrimento dos pacientes e seus familiares, com o medo da morte, medo de perderem um ente querido, aprendi a valorizar cada instante da minha vida. Cada experiência é única e a cada atuação cresço um pouquinho na área profissional e pessoal.

Vivi muitas histórias marcantes, mas quero citar especialmente uma jovem de 22 anos, internada há semanas na UTI, em situação de extrema fragilidade física e emocional, sem condições de verbalizar uma palavrinha sequer e incapaz de mover um dedinho, mas consciente e orientada. Com o empenho de toda a equipe multiprofissional, conseguimos sair com ela da UTI e levá-la para um banho de sol. Foi emocionante ver as lágrimas de emoção e alegria dela ao ver a luz solar.

Com as formas que a equipe desenvolveu para se comunicar com ela, descobrimos que ela queria fazer as unhas e escolheu usar a mesma cor de esmalte que eu estava usando (foto). Tive o privilégio de pintar as unhas dela e passar um batom para incrementar a “sessão beleza”. Ver aquele sorriso depois de tantas lágrimas me fez ter a certeza de que escolhi a profissão certa.

Não podemos nos esquecer que cada paciente tem sua individualidade, história de vida, medos, anseios e também vaidades, independentemente do quadro clínico. É nossa obrigação enquanto profissionais de saúde buscar o melhor tratamento para nossos pacientes. Além de desenvolver nossa capacidade técnica, temos o dever de cuidar do ser humano. A cada dia, vejo que é necessário muito pouco para provocar um sorriso. Uma simples escuta, um carinho, um olhar podem fazer toda a diferença na vida daqueles que cuidamos.

Milva Guimarães Leal
Assistente Social – HC-UFTM​

Sobre a Ebserh

Desde janeiro de 2013, o HC-UFTM faz parte da Ebserh. Estatal vinculada ao Ministério da Educação, atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Região sudeste
HC - UFTM