Relatos de Quem Cuida

“O procedimento que realizamos era a única chance que ela tinha de sobreviver”

Um caso que nos emocionou muito no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS/Ebserh) foi de um atendimento pela linha de cuidado em acidente vascular cerebral (AVC), em julho deste ano, a uma paciente de 84 anos. Eu me recordo que era um domingo de final de Copa América. Toda a atenção dos brasileiros estava voltada para o jogo do Brasil naquela tarde, quando a paciente apresentou um episódio de crise convulsiva em sua casa, com duração de 1 minuto, evoluindo na sequência. Ao recobrar a consciência, ela estava com paralisia em todo o lado esquerdo do corpo.

A filha, que já estava ciente dos sinais e sintomas de AVC, imediatamente chamou o Samu, que prontamente atendeu em domicilio e trouxe a idosa para nosso hospital, chegando aqui menos de uma hora após o episódio, o que é considerado uma ótima janela de trombose, ou seja, um tempo para realização de tratamento muito bom. Fizemos alguns exames e ela foi considerada com um déficit neurológico bastante grave, sendo imediatamente submetida à trombólise [procedimento que utiliza medicação para dissolver um coágulo]. Minutos depois, ela teve uma melhora dramática do nível de consciência e recuperação total dos déficits neurológicos.

Esse caso é muito marcante para nós, primeiro pela idade da paciente pois, poucas pessoas têm oportunidade de receber esse tratamento por conta dos riscos devido à idade avançada. Segundo, porque depois descobrimos, pela investigação etiológica [estudo sobre a causa do problema], que ela era portadora de uma doença cardíaca grave. Ou seja, provavelmente o procedimento que realizamos fosse a única chance que tinha de sobreviver. Se não fosse trombolisada, fatalmente teria problemas neurológicos permanentes e mais complicações de saúde devido à sua doença de coração.

E por último, e principal, é emocionante saber que nossa linha de cuidados em AVC funciona de uma forma coordenada, conseguindo entregar um tratamento de qualidade tão alta em tão pouco tempo para esses pacientes, conseguindo salvar a vida de tantas pessoas e proporcionando a elas o resgate normal de seu cotidiano. Essa foi a nossa paciente mais idosa a ser atendida na linha dos cuidados em AVC até o momento. Para nós, as vidas não têm idade, todas são importantes!”

Gabriel Pereira Braga – Médico Neurologista
Responsável técnico e coordenador da Unidade de AVC do Humap-UFMS

Sobre a Rede Ebserh

O Humap-UFMS faz parte da Rede Ebserh desde dezembro de 2013. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Os hospitais universitários são, por sua natureza educacional, campos de formação de profissionais de saúde. A Rede Hospitalar Ebserh não é responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país, apenas atua de forma complementar ao SUS.

Humap - UFMS
humap-ufms