História do AGHU História do AGHU

O AGHU - Aplicativos de Gestão para Hospitais Universitários foi concebido e está sendo desenvolvido dentro do esforço interinstitucional de definição e implantação de soluções eficazes, duradouras, abrangentes e participativas para os problemas estruturais das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) de todo o país.

A ideia do projeto nasceu no contexto do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários (REHUF), lançado pelo Ministério da Educação (MEC) em 2008 a fim de diagnosticar e propor soluções para os problemas específicos de sua rede dos hospitais universitários federais.

Através deste projeto, o MEC visa padronizar práticas administrativas e assistenciais em todos os seus hospitais, permitindo a implementação de novas iniciativas de forma sistêmica. Sua viabilização, no entanto, requereu, desde o início, o enfrentamento de um duplo desafio: definir um modelo de gestão que possa ser adotado por todos os HUs federais e criar um software capaz de apoiar esse modelo de gestão.

Foi no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) que o MEC identificou uma experiência bem-sucedida capaz de subsidiar o projeto. Trata-se do AGH, o "Aplicativo para Gestão Hospitalar", que a instituição gaúcha desenvolveu e aplicou com grande sucesso ao longo dos anos. Sua construção é fruto do trabalho conjunto entre usuários e equipe de tecnologia da informação e cada um dos módulos foi desenvolvido de forma a apoiar as atividades de algum grupo de usuários. Assim, o AGH reflete as melhores práticas utilizadas na instituição, propiciando, ainda, que o processo de gestão dos diversos setores ocorra de forma harmônica com o planejamento estratégico.

Em reunião realizada em Brasília, no dia 21 de maio de 2009, com a presença de representantes do HCPA, da Diretoria de Tecnologia da Informação do Ministério da  Educação (DTI/MEC), da Coordenação dos Hospitais Universitários Federais e do Secretário Executivo do MEC, foi criado o Projeto AGHU, cujo objetivo geral é propiciar a transferência de tecnologia necessária ao desenvolvimento do AGHU, a partir do AGH, fortalecendo as melhores práticas de gestão nos hospitais universitários federais do MEC.

A adesão dos hospitais ao projeto foi efetivada através de um Termo de Adesão assinado, em outubro de 2009, pelos Reitores, juntamente com os respectivos diretores das unidades hospitalares.

Nos dias 8 e 9 de dezembro de 2009, ocorreu em Porto Alegre o workshop Modelo de Gestão Hospitalar, que reuniu 120 dirigentes hospitalares e gerentes de tecnologia da informação de 33 HUs de todo o Brasil. O encontro serviu para apresentar e detalhar o modelo de gestão hospitalar do HCPA, que suporta o sistema AGH, e integrar os HUs no projeto.

O software passou a ser desenvolvido por equipes de tecnologia da informação alocadas tanto em Brasília (no DTI/MEC) quanto em Porto Alegre (no HCPA). Paralelamente, foi organizada no HCPA a força de trabalho responsável pela capacitação de todos os HUFs no modelo de gestão. 

O projeto envolve a migração modular do AGH do HCPA, desenvolvido em arquitetura cliente-servidor proprietária, para uma arquitetura livre baseada na Web. Os módulos inicialmente escolhidos para a migração dizem respeito, na área assistencial, a Registro de Pacientes, Internação, Prescrição Médica, Prescrição de Enfermagem, Exames e Farmácia e, na área administrativa, a Centro de Custos, Registro do Colaborador, Compras, Faturamento SUS e Segurança de Usuários.

Em agosto de 2010 se inicia a primeira etapa de implantação do AGHU, com a implantação dos módulos "Pacientes" e "Internação", na Maternidade Victor Ferreira do Amaral, em Curitiba (PR).

Em 15 de dezembro de 2011, com a criação da Ebserh, o AGHU passou a ser gerido por esta Empresa. Desde então foram realizadas mais de 30 implantações, conforme histórico.

Além da padronização de práticas administrativas e assistenciais em todos HUs, a utilização dos módulos do AGHU propiciará que os hospitais aprimorem seus processos assistenciais, estendendo aos pacientes de todo o país inúmeras facilidades, como o prontuário eletrônico e todos os benefícios a ele inerentes. Além disso, o AGHU levará benefícios aos profissionais de saúde e demais funcionários dos hospitais participantes.