Relatos de Quem Cuida Relatos de Quem Cuida

O projeto “Relatos de quem cuida” apresenta histórias de atendimentos de saúde marcantes na vida dos colaboradores (funcionários, estudantes, residentes, professores) dos hospitais da Rede Ebserh. É o trabalho de pessoas que se dedicam para mudar a vida de quem mais precisa!

Voltar

“Há esperança, independente da gravidade”

Relatos de quem cuida

“Há esperança, independente da gravidade”

Imagem

 É um caso que não daria para falar isoladamente, pois tocou e mobilizou toda a equipe da UTI Pediátrica. Rian (o paciente Rian Felipe de Oliveira Silva, 8 anos) deu entrada em 30 de agosto de 2017, com dificuldade respiratória e indicativo de pneumonia.

Logo evoluiu para infecção generalizada, com insuficiência de múltiplos órgãos e até parada cardíaca. Um cenário que, quem trabalha em UTI, vê com certa frequência, mas normalmente terminando em óbito.

Era uma situação dramática, pois ele entrou consciente, mas com enorme dificuldade de respirar e repetindo: “me ajude a respirar”. Uma criança dizendo isso, toca qualquer um. E a gente queria ajudar, mas não tinha muito o que fazer. Era aflitivo. O agravamento foi repentino.

Na UTI, temos o importante princípio da máxima transparência. Então, equipe e familiares estavam conscientes da gravidade. Mas nossa equipe, liderada pelo Dr. Gustavo Paiva e pela Enf.ª Ericka Cecília, age com o espírito de que há esperança, independente da gravidade.

Rian passou 22 dias na UTI, desenganado. É até inexplicável! Atualmente, vive normal, sem sequelas. Neste ano já esteve aqui, com as enfermeiras Ana Luiza Godeiro e Priscilla Delfino, com a técnica Eva Cristina e Deyse Almeida, e com o auxiliar Humberto Venâncio.

Ele sempre nos visita, pois a família guarda enorme gratidão de toda a equipe, tanto diurna quanto noturna. Foi um caso marcante, que mexeu com o hospital. Uma lembrança para sempre!

Ana Michelle de Paiva e Ana Luiza Cunha

Fisioterapeuta e Enfermeira da UTI Pediátrica do HUOL

Sobre a Ebserh

Desde agosto de 2013, o Huol-UFRN é filiado à Ebserh, estatal vinculada ao Ministério da Educação, que administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.